O regresso de OJ Simpson

thr01-oj-feature.jpg

 Enquanto espero ansiosamente pela sexta temporada da série que mais me fascina, "A Guerra dos Tronos", acabei por ficar caçado por outra, que passa na FOX.

Chamada "The People vs OJ Simpson: American Crime Story", é o recordar da grande saga criminal que envolveu o mediático OJ Simpson, negro, ex-jogador de futebol americano e actor.

 

Como é sabido, a sua ex-mulher Nicole e um amigo apareceram assassinados brutalmente à porta da casa dela, e OJ foi logo o principal suspeito, devido aos antecedentes violentos com a mulher.

Talvez por causa disso, fugiu no próprio dia em que tinha de se apresentar na polícia para ser detido, e a sua fuga foi televisionada em toda a América, que seguiu espantada a viagem do famoso Bronco branco onde ia OJ.

 

No entanto e apesar das desconfianças óbvias, a questão racial começou logo a aparecer. A polícia de Los Angeles tinha um péssimo registo, um ano antes haviam acontecido os famosos riots na cidade, e as acusações de que OJ foram "tramado" por polícias brancos e racistas foram imediatas.

A elas se agarraram a defesa jurídica de OJ, um "dream team" de advogados caríssimos, que se tornariam célebres pela forma como destruíram o caso da acusação.

 

Tudo isto a série recorda e podemos dizer que o trabalho de reconstituição é notável, bem como a apresentação do ambiente perigoso que se vivia em LA nesses anos, um caldeirão de racismos mútuos preocupantes e emocionais.

Mas, como em qualquer série de televisão, são os actores e as personagens que nos seduzem e esta série não seria a mesma sem cinco deles.

 

Cuba Gooding Jr vem à cabeça, a sua interpretação de OJ Simpson é notável, mas para mim o melhor mesmo é John Travolta, que interpreta o advogado Robert Shapiro.

Também Courtney B. Vance faz um grande papel, como outro dos advogados, o especialista em casos racistas, Johnnie Cochran. E David Schwimmer, que nos habituámos mais a ver em comédias, vai muito bem como o melhor amigo de OJ, Robert Kardashian.

Por fim, destaque para Sarah Paulson, que faz de procuradora do Ministério Público, Marcia Clark, e que está estupenda, seja na caracterização, seja na interpretação.

 

publicado por Domingos Amaral às 12:25 | link do post