O avião da Malásia ainda anda por aí...

Passei o fim de semana fascinado com o misterioso caso do avião que desapareceu perto da Malásia, o já famoso voo MH 370.

Aprendi imenso sobre radares, satélites, pings, ACARS, e também sobre a política interna da região.

E continuo tão fascinado pela história que me atrevo a tirar algumas conclusões.

 

1 - O suicídio de um dos pilotos não parece fazer qualquer sentido

Se um piloto está em cima do mar, no Golfo da Tailândia, e se quer suicidar, qual o melhor caminho?

A mim parece-me que era fechar a porta do cockpit e atirar com o avião ao mar, em poucos minutos.

Não é muito lógico que o piloto primeiro feche a comunicação dos radares, depois do transponder, e depois diga boa noite à torre de controle.

A seguir, vira o rumo do avião, faz mais hora e tal a voar, atravessa a Malásia para o oceano Índico, e depois ainda faz mais seis ou sete horas de voo, em cima do mar, para depois então, finalmente decidir suicidar-se.

Isto faz algum sentido? 

É evidente que, a ser suicídio, o avião teria caído logo no mar, e ninguém se dava ao trabalho de desligar as comunicações e virar, era focinho para baixo e pronto, acabava tudo em minutos!

O suicídio do piloto, ou co-piloto, é para mim um cenário ilógico e absurdo.

 

 

2 - O avião foi sequestrado, mas depois os passageiros revoltaram-se, e o avião caiu no mar

É uma hipótese possível.

As primeiras manobras, o desligar das comunicações, a mudança de plano de voo, são consistentes com um "sequestro" do avião por alguém.

E, como sabemos que aconteceu com o quarto avião do 11 de Setembro, é possível a revolta dos passageiros provocar a queda do avião.

Porém, sendo assim, como explicar que sete horas depois ainda houvesse sinal de satélite?

Se um avião cai no mar, o sinal de satélite termina, pois os circuitos eléctricos deixam de funcionar.

Se cai em terra, podem ficar a funcionar ou não.

Seja como for, em qualquer das hipóteses era difícil não se dar pelo avião. 

Se ele tivesse caído, em terra ou no mar, a probabilidade de ter deixado vestígios era muito grande, e quase certamente já teriam sido descobertos.

Mas, é uma hipótese que, mesmo assim, não deve ser totalmente posta fora de parte, pois há sempre a possibilidade de ter caído e ainda não ter sido encontrado.

 

3 - O avião foi sequestrado e seguiu para Norte, para a Ásia.

É uma possibilidade forte, pois a viragem do avião para Oeste mostra que houve intenção de virar para essa direção, embora não se possa provar que tenha ido para o Norte.

Porém, como atravessar o espaço aéreo de países como Burma, Birmânia, Nepal, Bangladesh, Índia, China, e outros, sem ser visto?

Não digo que não seja possível, mas era extremamente difícil.

No entanto, não é possibilidade que deva ser eliminada.

No Norte da China, por exemplo, há uma região onde vivem muitos muçulmanos e movimentos locais que fazem atentados terroristas contra a China.

Ainda a semana passada, atacaram e mataram muitos chineses à catanada, numa estação de metro de uma cidade chinesa.

É perfeitamente possível que um comando de chineses terroristas tivesse tomado o avião e seguisse numa rota para Norte.

Sim, possível é, mas para onde se o avião não atacou, nem houve qualquer atentado com o avião?

 

4 - O avião foi sequestrado e seguiu para Sul, para a Indonésia.

Para mim, é a hipótese mais provável.

Há na Indonésia milhares de pequenas ilhas, ilhotas, arquipélagos, onde existem pistas de aterragem para aviões.

É perfeitamente possível que o avião tenha desviado para Oeste e depois tenha descido, debaixo dos radares, até a um ponto qualquer na Indonésia, onde aterrou.

É perfeitamente possível que esteja escondido, e camuflado, para ser usado no futuro, noutro ataque terrorista.

Mas, seria possível que os Indonésios não tivessem dado conta disso?

Sim, a Indonésia é um país vastíssimo, com muitas ilhas que não estão bem controladas pelo poder político de Jakarta.

E os passageiros, não conseguiam telefonar?

É provável que, se o comando terrorista é tão competente que faz desaparecer um avião, também consiga controlar os passageiros.

Se eles estão vivos ou não, isso é mais difícil de dizer.

Só estão vivos se tiverem alguma utilidade, para pedidos de resgate, por exemplo.

Era o melhor que lhes podia ter acontecido, nesta misteriosa história.

 

publicado por Domingos Amaral às 11:15 | link do post