Mais um fanático da Guerra dos Tronos

Cheguei a esta série muito atrasado, tarde e a más horas.

Tinha sobre ela uma vaguíssima opinião, do género "é uma espécie de Senhor dos Anéis", que me levava a ignorar os episódios, o buzz, o marketing geral e o boca-a-boca positivo que muitas vezes ouvia.

A verdade é que foi muito tempo a ignorar uma evidência: estava a perder uma grande série.

É assim mesmo, e hoje já posso dizê-lo sem dúvidas: "A Guerra dos Tronos" é uma grande série de televisão, uma das melhores dos últimos anos.

Um dia, decidi começar a vê-la no SyFy, e fiquei viciado.

Aquela saga dos sete reinos, com os Stark, os Lannister, a Mãe dos Dragões e mais uma mão cheia de personagens inesquecíveis, agarrou-me e ainda não me largou.

Estou agora a terminar a 2ª temporada, e espero ainda conseguir ver a 3ª a correr, aos 2 e 3 episódios por dia, antes de me preparar para a grande estreia da 4ª temporada, que está aí a chegar.

Há algo de grandioso na série, com os seus dragões, os seus Caminhantes Brancos, as suas lutas sangrentas, que nos fascina, como se aqueles tempos do impossível e do improvável tivessem mesmo acontecido.

Ah, e o anão também é genial, sem dúvida, mas não acho que seja a feitiçaria e o surrealismo que nos caçam, é mais o diálogo, a estranheza daquelas pessoas, os seus costumes, e sobretudo a imaginação delirante que produz aquele universo.

Uma história é sempre um Universo novo, onde tudo o que antes de passou volta a acontecer de forma original.

E este Universo dos Sete Reinos, do Domínio, da Muralha, é fascinante.

Tem política, sexo, guerra, traições, perversões, magia, estética, guarda-roupa, e muitas coisas mais.

Está quase a entrar para o meu top 5 das melhores séries de sempre, onde estão os Sopranos, o 24, o Lost, o Colditz, e o Espaço 1999. 

publicado por Domingos Amaral às 11:19 | link do post