É muito mal sinal quando o desporto pára

Um dos piores sinais de instabilidade que um país pode dar, é quando os seus eventos desportivos começam a parar.

É isso que está a acontecer na Ucrânia, por estes dias.

Um jogo da Liga Europa, que ia decorrer em Kiev, foi mudado de local e de país, por falta de condições de segurança.

Outro, que se iria disputar hoje noutra cidade, e onde o Tottenham está envolvido, está de debaixo de uma ameça de invasão, lançada pelas forças da oposição.

Nem o futebol escapa ao lento resvalar do país para um abismo terrível.

Mas, não é só o futebol que está a dar sinais destes. Em Sochi, onde decorrem as Olimpíadas de Inverno, o orgulho de Putin, já há atletas ucranianos a retirarem-se das provas.

Alegam que, ao ver o seu país natal a ferro e fogo, perderam a vontade e a capacidade para competir, e querem regressar a casa.

É compreensível: nas Olimpíadas, joga-se o orgulho dos povos, mas quando o país arde, ninguém consegue ser imune.

As imagens terríveis que vemos de Kiev são quase inimagináveis, mas estão a acontecer, a cada minuto há gente a morrer.

E se já nem os eventos desportivos conseguem o seu espaço e o seu tempo, é porque estamos já, não a caminho do abismo, mas a cair nele.

A Ucrânia está já em guerra civil, resta saber se ela ainda pode parar no início, ou se vai acelerar para um cenário horrível.

publicado por Domingos Amaral às 15:39 | link do post