Será que eles vão acabar por entender-se?

Logo após a comunicação de Cavaco Silva, multiplicaram-se os comentários fantásticos e radicais!

Uns dos problemas de haver muitos comentadores é que eles competem ferozmente uns com os outros, e para terem visibilidade têm de exagerar no que dizem.

Era "impossível", é "um absurdo", "com estes nada vai acontecer", bla,bla, bla, "Cavaco gerou o caos", Cavaco isto, Cavaco aquilo; bla, bla, bla.

Alguns, em puro delírio, já sonhavam com referendos à Constituição; ou ainda mais tremendos, propõem o fim dos partidos!

Ena, que grande algarviada que para aí vai nas televisões e nos jornais.

De facto, se há uma coisa que não faltam em Portugal são génios da análise.

Em cada programa de televisão, em cada coluna nos jornais, em cada entrevista, o que não falta são opiniões geniais, mirabolantes, bombásticas.

Pois...

Mas, pé ante pé, a proposta de Cavaco já está a fazer mexer esta caranguejola.

Ninguém diria, a ouvir o que se ouve na televisão ou lê nos jornais. Mas está.

O PS já mudou o discurso, o CDS já se acalmou, o PSD já perdeu uma certa arrogância, e Passos não se cansa de dizer que está disponível para "tudo"!

Quase sem darmos por isso, o sistema político está a mexer-se, os discursos estão a evoluir.

Por debaixo da biqueirada retórica e das musculadas declarações, há uma zona comum que se começa a alargar, um novo consenso que vai fazendo o seu caminho.

É evidente que ninguém ainda sabe como isto vai acabar, nem qual a fórmula milagrosa que se irá cozinhar.

Mas lá que as coisas começaram a adaptar-se, lá isso começaram. 

No meio da berraria mediática, a salvação nacional lá vai dando os seus primeiros passos...

Ainda nada é seguro, mas certas portas estão a abrir-se. 

publicado por Domingos Amaral às 12:35 | link do post