Embora lá fazer de conta que a crise não existe?

De há uns tempos para cá, um mês, talvez dois, parece-me que os portugueses se andam a esforçar para pensar que a crise já não existe, ou que o pior já passou.

Com aquela habilidade tipicamente "tuga", tenta-se fazer de conta, pensar positivo, acreditar no futuro, para nos convencermos que isto não é tão mau como pintam a coisa.

É um processo psicológico típico: como pensar muito sempre na mesma coisa nos causa angústia, é melhor não pensarmos mais, que talvez a má sensação se vá embora. 

O que não falta neste país são pessoas que passam por optimistas, quando na verdade são apenas inconscientes. Há quem acredite que basta a dose certa de pensamento positivo para vencermos este obstáculo.

Normalmente, quando ouço esse tipo de pessoas a falar, sei pelo menos uma coisa sobre elas. Estão empregadas, e portanto podem dar-se ao luxo de ser "positivas". 

Agora, com o desemprego a subir da forma que tem subido, como acreditar que estamos no bom caminho? 

É uma das coisas que me causam perplexidade neste Governo. Sendo um Governo de centro-direita, eu pensava que era um Governo que queria diminuir o número de pessoas a depender da ajuda do Estado para viver. É isso que os liberais normalmente defendem.

Porém, com as políticas que este Governo tem promovido, há hoje muito mais portugueses a viverem à custa do Estado do que havia antes dele chegar. São às centenas de milhares a receberem subsídios de desemprego!

E as receitas do Estado, como se esperava já, continuam a descer a pique. É de facto um feito glorioso de Gaspar e Passos.

E tudo isto é feito em nome do "regresso aos mercados" e da "credibilidade financeira do país"! É um país maravilhoso, o que este Governo deseja. Um país pobrezinho mas honrado!

Onde é que eu já ouvi isto? Mas, hoje está um dia de sol e bem bonito, o melhor mesmo é amanhã ir à praia e...pensar positivo!

publicado por Domingos Amaral às 16:17 | link do post