Heróis de um mar verde

Sim, eu sei que o futebol não é uma guerra, e que hoje a Espanha não é para nós um inimigo. Mas que me perdoem os espanhóis, hoje é um daqueles dias em que a História também joga e em que os heróis do passado estarão ao lado dos nossos heróis de um mar verde. Esta noite em Donetsk, há quem vá aparecer para inspirar Cristiano e os outros rapazes. Hoje, mesmo sem os vermos, lá estarão D. Afonso Henriques e seus aios e escudeiros, lá estará o Mestre de Aviz, D. João I, e também os seus filhos; andará por lá o Condestável D. Nuno Álvares Pereira e a sua táctica do "quadrado"; e também D. João II e as suas Tordesilhas; e lá estarão igualmente os Braganças da nossa independência, com D. João IV à cabeça. E, no meio da multidão, ouviremos as palavras eternas de um poeta, Fernando Pessoa, e a sua mensagem, que hoje será ligeiramente modificada e será dita assim aos espanhóis pela nossa seleção: "Hoje, aqui neste campo, sou mais do que eu, sou um povo inteiro que quer o troféu que é teu". 

publicado por Domingos Amaral às 12:25 | link do post