Bye bye Godinho

Finalmente, Godinho Lopes demitiu-se. Por pura teimosia, o presidente do Sporting tentou a todo o custo ficar e resistir, mas acabou por render-se às evidências e atirou com a toalha ao chão. 

Com o clube à beira de um golpe de Estado, e com uma Assembleia Geral explosiva marcada para o próximo sábado, Godinho fez bem em não esticar mais a corda. Até porque, como há já mais de um ano se percebeu, Godinho não é um bom presidente de um clube de futebol, e não é suficientemente competente para lá ficar mais tempo.

O mais grave erro de Godinho Lopes foi ter despedido o treinador Domingos quando o Sporting até não estava a jogar mal, já se tinha qualificado para a final da Taça de Portugal, além de ir com uma boa carreira na Liga Europa. A partir desse momento, nunca mais Godinho Lopes agarrou o clube.

Despedir treinadores dá sempre mau resultado. Em trinta anos, o Sporting teve 45 treinadores diferentes! Mais instável que isto, é impossível. Esta época, e ainda só vamos a meio, já vai no quarto treinador: Sá Pinto, Oceano, Vercauteren e Jesualdo. Ora, isso é uma receita para o desastre, e o desastre está a dar-se aos olhos de todos.

A partir do despedimento de Domingos, foi sempre a descer. Casos com Pereira Cristóvão, despedimentos de Sá Pinto, Duque e Carlos Freitas, e uma solidão cada vez maior do presidente. A bóia de salvação chamada Jesualdo, a que Godinho se agarrou, não resultou, e naturalmente os sócios do clube não aguentam mais tanto sofrimento.

Além disso, há o buraco financeiro. O Sporting tem pouco dinheiro? Não é bem verdade, pois o Sporting tem muitos adeptos e até tem tido muita gente no estádio, e Godinho investiu muito quando chegou. O problema é que o dinheiro é sempre mal gasto, e Godinho gastou muito mal o muito que teve disponível.

Portanto, venha o próximo, a ver se faz melhor.  

publicado por Domingos Amaral às 11:18 | link do post