O tio Arménio e as greves

Caro tio Arménio, o senhor devia saber que ainda está para nascer um primeiro-ministro que mude de ideias só porque não há combóios e autocarros durante um dia. Com a idade que tem, o senhor devia saber que, enquanto arma de ataque político, as greves gerais são disparos de pólvora seca! O único dano que produzem é colateral: é o "massacre dos utentes".

É esse o seu objetivo: massacrar a população, uma, duas, três vezes, as que forem necessárias, para tentar assim pressionar o governo? Não vale a pena: o poder político, qualquer um que ele seja, está-se nas tintas para as greves gerais, e não se comove. Na verdade, quem se lixa é quem usa os serviços, não quem manda neles. 

As greves produzem uma profunda irritação na população, que não compreende que, sendo ela inocente, tenha de ser a principal vítima de uma guerra política e ideológica, entre os comunistas e os sindicalistas de um lado, e o Governo de centro-direita do outro. 

Quem se trama é sempre o mexilhão, que tem de ir trabalhar na mesma, embora seja dificílimo chegar ao trabalho a horas; tramam-se os estudantes, que não conseguem chegar às aulas; trama-se quem quer apenas tratar de alguma coisa nesse dia, e não o consegue perante o caos em que as cidades se transformam; e trama-se a economia do país, mas isso é para o lado que os sindicalistas radicais dormem melhor.  

A única razão que vejo para a greve geral de amanhã é uma razão de ambição política. O tio Arménio Carlos é lider da CGTP há pouco tempo, mas tem de se afirmar. Já todos percebemos que escolheu uma "linha dura", de radicalismo comunista e sindical, e está no seu direito. Porém, ao recorrer à greve geral, ou a patrocinar greves constantes dos estivadores, está a colocar os seus interesses pessoais de líder à frente de outros, bem mais importantes. 

Depois de 30 e tal anos de democracia, os sindicalistas já deviam ter aprendido que quanto mais radicais forem, menos apoios no país têm. Na verdade, o que não deixa de ser uma curiosidade inesperada, enquanto nenhuma greve geral ou parcial da CGTP conseguiu mudar as políticas do governo, bastou uma única manifestação convocada através das redes sociais para conseguir evitar as mexidas na TSU!

Deve ter sido um grande galo para a CGTP, mas o tio Arménio não aprendeu nada com isso.

publicado por Domingos Amaral às 10:33 | link do post