Os "adiantados mentais"

O principal problema deste governo, e principalmente do PSD, é que está repleto de "adiantados mentais". Os "adiantados mentais", ao contrário dos "atrasados mentais", são pessoas que estão muito à frente do seu povo, em inteligência, cultura e saber. Os "adiantados mentais" são seres que estão num patamar superior, num pedestral de sapiência e lucidez a que obviamente os outros portugueses, por mais que se esforçem, não conseguem chegar. E, naturalmente, os "adiantados mentais" sofrem horrores por terem de partilhar a vida com os outros, que consideram uma casta inferior sem ponta por onde se lhe pegue.

Devido a esta alergia à casta dos inferiores, os "adiantados mentais" não conseguem manter dentro de si as suas ideias. Volta meia volta, lá abrem as comportas da alma e soltam as ideias que, por pura boa educação ou cortesia, tinham reprimido durante tanto tempo.

Veja-se por exemplo, António Borges. É claramente um "adiantado mental", um ser de raça superior, pertencente a uma casta de génios que, sendo tão rara, devia ser conservada em formol. Para ele, os empresários não passam de uns "ignorantes"! Por ele, "chumbava-os"! Evidentemente, sendo um "adiantado mental" tão brilhante, Borges despreza todos os "atrasados mentais" que tiveram o descaramento de ser contra as suas grandiosas e fulgurantes ideias.

Mas, há mais exemplos neste governo. Por exemplo, o ministro Macedo, que mesmo não parecendo no fundo também é um "adiantado mental", revelou a semana passada o seu desprezo pelas "cigarras", uma forma enfabulada de chamar "preguiçosos" a muitos portugueses. E que dizer do senhor primeiro-ministro, Passos Coelho? Embora com aquele seu ar calmo não lembre um "adiantado mental", lá no fundo da sua alma existe um cérebro que pensa mais rápido que todos nós, os "piegas", os que "devem aproveitar o desemprego para mudar de vida", ou os que devem "encarar a emigração como uma oportunidade".

Eis um "adiantado mental" em todo o seu esplendor, a falar com o povo com um paternalismo de mestre-escola, ao mesmo tempo dando lições de moral e iluminando possíveis saídas para o futuro. É evidente que os "adiantados mentais" adoram promover a emigração, assim o país teria menos "atrasados mentais" que os incomodassem.

O problema dos "adiantados mentais" é que são cada vez menos. Sem que eles compreendessem porquê, o número de "adiantados mentais" desceu vertiginosamente nas últimas semanas, enquanto cresceu exponencialmente o número dos "atrasados mentais". Dia após dia, o país embrutecia à frente dos cada vez mais raros génios incompreendidos que não se calavam. Neste momento em que escrevo, é aliás quase certo que o número de "adiantados mentais" está reduzido a sete ou oito pessoas do PSD, que por junto cabiam num bote. Passos, Borges, Braga de Macedo, Gaspar, Moedas, Santos Pereira, Relvas e pouco mais, é o que resta da espécie em vias de extinção acelerada dos "adiantados mentais".

Consta que a polícia os tem de proteger, e está em "Alerta Amarelo" porque a casta dos "atrasados mentais" anda de cabeça perdida, a babar-se em arremessos de raiva, e há receio que os "adiantados mentais" sejam molestados...Talvez fosse melhor que os "adiantados mentais" emigrassem, assim por uns tempos, para ver se as coisas acalmam. Talvez encontrem, numa qualquer ilha semi-deserta do Pacífico, um grupo de "adiantados mentais" semelhante, e com eles possam ficar a discutir teorias económicas e o sentido da vida.

Era certamente melhor para o PSD. É que, se estes "adiantados mentais" duram muito tempo à frente dos destinos do partido, é bem possível que o PSD se torne, todo ele, um partido "adiantado mental", e se veja de repente brutalmente rejeitado pelos cada vez mais numerosos "atrasados mentais" que saltitam por esse Portugal fora. É sempre isso que acontece às elites vanguardistas de "adiantados mentais": um belo dia acordam e, sem saberem bem porquê, são atiradas pela borda fora...

   

 

publicado por Domingos Amaral às 10:52 | link do post