As Finanças e os camiões

Acabei de ver na SIC uma reportagem onde um casal contava a seguinte história: tinham recebido uma notificação das Finanças para pagar o imposto de circulação de um camião, relativo a 2008. Só que a notificação vinha em nome do filho do casal, uma criança de quatro anos! Na ânsia de cobrar mais impostos, os serviços das Finanças nem se tinham dado ao trabalho de verificar o número de contribuinte do proprietário da viatura, e enviaram logo a nota de cobrança. Os pais tiveram de perder um dia inteiro a resolver o imbróglio e ainda suportaram alguns custos. Esperam que o problema esteja resolvido, mas em Portugal nunca se sabe. É por isso que enquanto pai, e indignado com a inépcia das Finanças, já preparei a seguinte carta ao Ministro Vítor Gaspar, só para o caso de também o meu filho vir a ser notificado:

 

Exmo Sr Ministro

Recebi a notificação para pagar o imposto de circulação do camião do meu filho. No entanto, tenho dúvidas. A qual camião se refere? Àquele que ele recebeu no Natal passado, presente da sua avó, e comprado no El Corte Inglés? Ou ao camião da Lego, que lhe deu a madrinha no dia do seu aniversário? E os camiões mais pequenos, de caixa aberta, que ele ganhou num brinde de hamburgeres, também pagam imposto de circulação? E as várias ambulâncias que cá por casa apitam freneticamente todo o santo dia pagam ou estão isentas? Além disso, o senhor tem de compreender que nos lares portugueses a maioria dos camiões estão estragados, sem arranjo possível, pois os miúdos estragam tudo. E, quando não estão partidos ao meio, estão debaixo de uma cama qualquer, imobilizados pela crise económica, à espera de pilhas. Por favor, tenha dó de nós, e compreenda que é inaceitável exigir-nos um imposto de circulação sobre brinquedos! 

 

PS: Por acaso não tem à mão umas pilhas que me pudesse emprestar para as retroescavadoras do Toys´r Us? É que o miúdo não pára de me moer a cabeça...

 

publicado por Domingos Amaral às 14:21 | link do post