Xistra: "Parece, mas não é"!

Descobri um novo problema em futebol: o problema do "Parece, mas não é". No domingo à noite, quando vi o Académica-Benfica na televisão fiquei com esta ideia: em todos os três penalties marcados por Carlos Xistra, no momento em que vi as jogadas pareceram-me os três penalty. O de Maxi pareceu penalty, o do Rodrigo Galo pareceu penalty e o do Garay também pareceu penalty. Naquela fração de segundo em que vemos a jogada a primeira vez, os três pareceram penalty. Depois, à medida que ia vendo repetições, cheguei à conclusão que a falta do Maxi era fora da área, que era duvidoso que a bola tivesse batido na mão do Rodrigo Galo, e que o Garay corta a bola antes do choque com o avançado da Académica. Ou seja, nos três casos, "Parece, mas não é". Parece que é penalty, mas não é. Só que isso significa que temos de admitir que Xistra viu o que nós vimos, a ele também lhe pareceram três penalties. Infelizmente para ele, não foi possível alguém mostrar-lhe as repetições das jogadas, para ele confirmar que a sua percepção inicial, tal como a minha, estava errada. Portanto, julgo que não é muito justo estar a criticar o árbitro nestes três casos. São três erros de percepção compreensíveis, e só desfeitos com os meios auxiliares televisivos de que nós podemos usufruir e ele não. Neste caso, a culpa não é de Xistra. A culpa é de quem não deixa usar a televisão como auxiliar do árbitro. Neste caso, "Parece, mas não é". 

publicado por Domingos Amaral às 11:52 | link do post