Passou pouco mais de um ano...

Passou pouco mais de um ano e o consenso nacional que existia estilhaçou-se em mil pedaços. Há pouco mais de um ano atrás, o Governo de Passos Coelho tinha consigo o PSD e o CDS, Cavaco Silva e o PS, a UGT e as confederações patronais, os principais comentadores políticos e económicos, e principalmente a opinião pública, que interiorizara a necessidade de fazer importantes sacrifícios. Estoicamente, a grande maioria dos portugueses aguentou metade de 2011 e metade de 2012 com paciência e calma. Porém, agora tudo se destruiu. Em Setembro de 2012, já não estão com o governo a UGT e o Tribunal Constitucional, o PS e os comentadores, Cavaco Silva e as confederações patronais e o CDS está à beira de perder a cabeça, havendo também já muita gente no PSD que acha que este governo é francamente mau. Mas, pior e muito mais grave do que ter perdido os apoios institucionais e políticos, foi a perda da confiança e do apoio silencioso dos portugueses. Havia uma maioria silenciosa que aguentava, mas a partir de sexta-feira já não há. A patética comunicação de Passos Coelho, entre o futebol e as fúteis cantorias num concerto, enfureceu a nação, e agora não haverá mais silêncio. A partir destes dias, só há dois caminhos. Ou o Governo recua nas medidas e procura novos consensos, tentando recuperar a confiança dos portugueses; ou isto vai dar um trinta e um que só Deus sabe como vai acabar e Passos Coelho será em breve obrigado a reconhecer que não tem condições para governar, e terá de se demitir. Lá diz o provérbio: "Quem semeia ventos, colhe tempestades". A inépcia, a incompetência, a arrogância e a teimosia deste governo ou acaba já, ou os portugueses acabam com este governo nos próximos tempos.

publicado por Domingos Amaral às 11:54 | link do post