As Pussy Riot

Sinceramente, não entendo o grande clamor internacional contra a Rússia a propósito das Pussy Riot, uma banda feminina. Há muitas, imensas razões, para criticar o regime de Putin, as perseguições que faz aos críticos, a falta de liberdades políticas, a invasão de territórios que querem a independência, e muitas mais que seria fastidioso enumerar, mas criticar a Rússia por querer julgar uma banda que invadiu uma igreja para cantar músicas ofensivas a essa mesma igreja não é uma boa razão. É que o que as Pussy Riot fizeram é crime, e é crime em todos os países ocidentais, da América à Europa, passando pelo Japão. É um acto de vandalismo com apelo ao ódio religioso, e seria evidentemente julgado também nesses mesmos países. Podemos achar que a Rússia é mais violenta na condenação, ou que tudo isto não passa de uma patética comédia, mas não podemos criticar a Rússia por querer ser como nós. É que o princípio do respeito pela religião é um princípio fundamental das democracias. Ou não?

publicado por Domingos Amaral às 12:34 | link do post