O coelhinho branco

Todas as noites tenho por hábito contar uma história à minha filha Leonor. Aos três anos, as crianças gostam ainda que a história seja sempre a mesma todos os dias, e assim é com ela. A que lhe conto é sobre um coelhinho branco que anda à procura de uma coelhinha branca, mas que no local onde habitualmente passeia nunca a consegue encontrar. Um dia decide aventurar-se para outro sítio, para tentar encontrá-la, o que acontece sempre. No momento em que o coelhinho vê umas orelhas brancas atrás de uma árvore, a excitação dele transforma-se na excitação da minha filha, que todas as noites celebra esse encontro colocando as suas mãozinhas no alto da cabeça, imitando as orelhas da coelhinha. Depois, o coelhinho e a coelhinha abraçam-se, dançam e vão viver felizes para sempre, não sem antes dar um beijinho, e nesse a momento a Leonor pergunta "onde?" e eu lá respondo "na boca", e ela fica feliz e diz que eles são namorados, e aceita finalmente que é chegada a hora de adormecer. É destes rituais que se faz a vida dos pais.                       

publicado por Domingos Amaral às 11:30 | link do post