A caminho do Algarve

 

Antigamente, fazer uma viagem para o Algarve era entrar numa espécie de combóio-fantasma, onde as pessoas não estavam mortas mas sim prestes a morrer. Antes de existir auto-estrada para o Algarve, uma viagem de carro era uma das aventuras mais perigosas da vida. Os carros, mal viam uma pequena recta, desatavam todos a ultrapassar-se uns aos outros, a alta velocidade, como se tivesse sido dada a partida de um Grande Prémio de Fórmula 1, com a única diferença de que existiam carros na via contrária! Era um suplício chegar ao Algarve porque todos os outros portugueses queriam chegar primeiro do que nós, além de quererem pelo caminho parar todos em Canal Caveira ou nesse lugar infecto chamado Mimosa. Graças a Deus que esses tempos terminaram com a A2, mas ainda restam alguns comportamentos do passado. Eu chamo-lhes os "Cola-Rabos" e são aqueles carros que querem andar tão depressa que se colam na nossa traseira, a alta velocidade, furiosos enquanto não os deixarmos passar. É puro terrorismo psicológico, e é uma manobra perigosíssima, mas os "Cola-Rabos" não desistem, adoram andar colados ao nosso rabo. E, mal nos desviamos, lá vão eles, largados, como se fosse o último dia de férias e não o primeiro... 

publicado por Domingos Amaral às 23:24 | link do post