O tempo de Rui Rio ainda não chegou

Há um certo sebastianismo à volta da Rui Rio que me incomoda.

Dá a sensação que, se de repente o PSD mudasse de líder, tudo em Portugal mudaria, como se todo o mal do país fosse ter Passos Coelho como primeiro-ministro.

Nesse mal estar, cresce a popularidade de Rui Rio, como se ele fosse um desejado, capaz de tudo mudar e de governar muito melhor o país.

No entanto, não se percebe bem porque é que existe esta mitologia à volta de Rio.

Sim, foi um bom presidente da câmara do Porto, e talvez tenha mais sensibilidade social do que Passos, que provou ser demasiado liberal.

Contudo, isso não chega, nem para governar o país, nem sequer para vencer Passos no partido.

Os portugueses têm de meter na cabeça que a grande maioria das suas políticas não são determinadas por eles, mas sim por Bruxelas, ou pela "troika".

A direção geral que Portugal está obrigado a seguir, é uma direção decidida na Europa, independentemente de quem seja o primeiro-ministro da nação.

Já foi assim com Sócrates, entre 2008 e 2011, e é assim com Passos, desde meados de 2011 até hoje.

O que faria Rio, ou qualquer outro, de diferente?

Por outro lado, se Passos conseguir sair do programa de assistência directo para os mercados, hipótese possível, terá vencido politicamente em toda a linha.

Porquê então mudar?  

Mas, mesmo que as coisas não corram assim tão bem, e tenhamos de ir para um programa cautelar, porque haveria o PSD de mudar de líder?

O que poderia Rio fazer diferente que Passos não faça? 

O PSD e o CDS têm maioria na Assembleia, o presidente Cavaco não quer causar distúrbios, onde haverá espaço para Rio aparecer?

É evidente para todos sabemos que este Governo cometeu muitos erros, em muitas questões diferentes, e que há muito mal estar no país.

Mas, o que faria Rio de diferente?

Falar é fácil, manter uma aura de salvador da Pátria também, mas na realidade as coisas são muito mais complicadas, e não se vê ainda uma boa razão para Rio ser melhor que Passos.

A não ser que, daqui até Junho, aconteça um cataclismo, o tempo de Rui Rio ainda não é este.

Mais vale andar por aí do que ir à luta para perder... 

publicado por Domingos Amaral às 13:28 | link do post