O Nassib vai perdoar a traição?

Para grande pena de muitos portugueses como eu, a Gabriela está a chegar ao fim, e está quase tudo resolvido, quem fica com quem, quem morre e quem vai embora, essas coisas. Só falta o mais importante: será que Nassib vai perdoar a Gabriela?

A história é toda sobre o amor e a liberdade, e o quanto o amor pode ser estragado pela suposta prisão que é o casamento, como Gabriela a sentia. Na verdade, ela ama Nassib, sempre o amou, não sabia era estar casada. A moral da história é essa: o casamento não presta, mais vale viver junto, que as coisas funcionam melhor.

Pois, pode ser, mas também pode não ser. O problema de Gabriela foi ter optado pela traição em vez da revolta dentro do casamento. Casada, ela não sabia como ser feliz, como colocar os seus valores acima dos de Nassib. Foi abafada pela "sociedade", e não conseguiu resistir. Por isso traiu.

Furioso, Nassib desfez-se dela, rejeitou-a, e conseguiu mesmo anular o casamento. Essa foi a sua grande vitória, pois se o casamento não existiu, então ele não era "corno", como se o traído fosse apenas o homem casado. 

Na verdade, trata-se de uma falsa questão. A traição não dói só quando se está casado, dói sempre que se ama. Dói quando somos namorados, dói quando somos casados, e doerá sempre até ao dia em que morrermos, seja qual for o nosso estado civil ou o sexo. 

Mas, será mais fácil às mulheres do que aos homens perdoar uma traição? Há quem diga que sim, eu por exemplo. Para mim, é insuportável como homem a ideia de perdoar uma traição. Pois, mas eu sou homem. Se fosse mulher, provavelmente pensava que era mais difícil para as mulheres.

O que sabemos é que está a ser difícil a Nassib perdoar a traição de Gabriela. Mesmo com ela dentro de casa, a tomar banho nua na banheira, a rir-se para ele, chamando-o com a força do seu sexo, ele tem resistido. Nunca mais, nunca mais, diz. Mas à noite sonha com ela, e chama o nome dela a dormir.

É evidente que ele vai perdoar. Nenhum homem com dois dedos de testa resistia à Juliana Paes nua numa banheira de madeira! Mesmo tendo sido encornado por ela, em Ilhéus é impossível encontrar melhor.

publicado por Domingos Amaral às 18:20 | link do post