Segunda-feira, 01.08.16

Aí está a reedição de "O Fanático do Sushi"!

Captura de ecrã 2016-05-11, às 15.59.15.png

 Depois de tantos pedidos de leitores, é com grande alegria que anuncio a reedição do meu livro "O Fanático do Sushi". 

Há muitos anos que estava esgotado mas agora é publicado com uma nova capa, e espero que os leitores gostem.

 

publicado por Domingos Amaral às 12:49 | link do post | comentar
Terça-feira, 12.07.16

Para a eternidade portuguesa

19762551_ekAVM.jpeg

 

"O que fazemos na vida, faz eco na eternidade"

General Maximus, O Gladiador

Parabéns Portugal

publicado por Domingos Amaral às 12:38 | link do post | comentar
Quarta-feira, 06.07.16

Deus esteja connosco e o Cristiano também!

Se há coisa que vale a pena admirar em Fernando Santos é a sua crença religiosa.

Todos sabemos que Deus ajuda, que Deus é que decide tudo, e o selecionador nacional é capaz de o dizer em público. Tem uma crença e até agora nada o fez deixar de acreditar.

 

Mas, às vezes, até Deus precisa de uma ajuda. É isso que Portugal precisa de fazer hoje: ajudar Deus a ajudar-nos. Ajudar Nossa Senhora de Fátima, os três pastorinhos, a Senhora de Caravaggio do Scolari, ajudá-los a todos a ajudarem-nos.

 

Em especial, o Cristiano Ronaldo tem de dar uma mãozinha a Deus, ou um pézinho.

Vá lá, rapaz, mostra o génio que és e dá uma ajudinha, mete dois ou três golitos e tira-nos desta angústia em que vivemos desde que começou este Euro 2016.

 

Sinceramente, hoje acredito que vai ser o dia CR7. E sabem porquê? Tenho uma teoria para este Euro, que é a teoria do terceiro jogo.

A coisa é assim: Cristiano esteve apagado contra a Islândia, perdulário contra a Áustria, mas jogou bem contra a Hungria. Ao terceiro jogo apareceu finalmente.

 

Ora, coisa semelhante se passou no ciclo de jogos seguinte. Apagado contra a Croácia, melhor mas perdulário contra a Polónia, e espectacular hoje? Assim espero, contra Gales será o terceiro jogo deste ciclo, ele vai explodir e meter-nos na final.

 

É merecido? Não interessa. Jogámos bem? Não interessa. Como dizia um bêbado que estava sempre num bar de Cascais onde eu ia quando era mais novo: "o que interessa é metê-la lá dentro!"

 

PS: Ontem à noite, Deus disse-me que vamos ter uma final França-Portugal e eu acreditei.   

 

 

 

publicado por Domingos Amaral às 11:37 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Quinta-feira, 30.06.16

Um Portugal humilde pode ir mais longe

Numa coisa toda a gente está de acordo: até agora, a selecção portuguesa ainda não fez um jogo de encher o olho, daqueles para mais tarde recordar.

 

Nada que me espante. Esta não é a equipa que tinha Figo, Rui Costa, Deco, Maniche, Simão, Nuno Gomes, Pauleta, além de um jovem génio chamado Cristiano Ronaldo.

 

É isso que temos de aceitar: esta não é a melhor seleção de sempre. Entre 2004 e 2006, Portugal tinha um grande grupo de jogadores, que jogavam muito bem e isso não se passa no presente. Sendo assim, a única coisa a que devemos aspirar é ir vencendo, jogo a jogo.

 

Foi por isso que não gostei da postura de Fernando Santos, quando já depois de ter empatado com a Islândia e a Áustria, disse que já avisara a família que só voltava para casa a 11 de Julho, depois da final!

 

Essa bazófia não nos assenta bem. Nunca nos assentou e menos ainda quando a nossa seleção não joga nem domina os adversários para podermos pensar assim.

 

Mas, é preciso reconhecer que Fernando Santos corrigiu o discurso depois de passar a fase de grupos. Confessou que tinha falado muito com os jogadores, pois havia alguns com "excesso de confiança". E nunca se deu como favorito contra a Croácia.

 

Ou seja, foi humilde, tal como os jogadores. E em campo esse estado de espírito concretizou-se. Portugal não se iludiu, pelo contrário, tentou bloquear a Croácia, trabalhou muito e no fim foi feliz.

 

É isso que temos de tentar novamente hoje, é assim que temos de ser contra a Polónia. Humildes e trabalhadores. Ninguém quer ganhar o prémio da "Melhor Seleção de Sempre", ninguém quer armar-se em génio da bola e no fim chorar.

 

Hoje, só queremos passar. Não nos chamem Grécia, mas podem chamar-nos Itália. Os italianos sabem jogar estes torneios curtos. Defendem bem e são venenosos no ataque. Deus queira que hoje ganhemos à italiana! 

publicado por Domingos Amaral às 10:59 | link do post | comentar
Quinta-feira, 23.06.16

A bazófia do Fernando Santos e o favoritismo da Croácia

Finda a fase de grupos, uma conclusão é óbvia: a seleção nacional vive num estado de sofrimento emocional agudo. Em três, não conseguiu ganhar um único jogo e esteve com um pé fora do Europeu, só se qualificando em terceiro do grupo.

 

Qual a razão para tanta pertubação, angústia e aflição? Para mim, o principal culpado é Fernando Santos, com o seu discurso de "estatuto", de candidato à final, de "somos muito bons e temos o melhor do mundo connosco".

 

O futebol, todos o sabemos, costuma ser muito cruel com os cagões e os bazófias. Ao colocar a fasquia tão alta, Fernando Santos atirou uma pressão insuportável para cima dos jogadores, que não lidaram bem com a situação. 

 

Faz algum sentido, depois do empate com a Áustria, o selecionador declarar "já avisei a família de que só volto para casa no dia 11 de Julho", o dia seguinte da final do Europeu?

 

Tanta bazófia, deu mau resultado. A seleção emperrou e nos jogos não rendeu o que dela esperávamos. Ou defendia bem, como contra Islândia e Áustria, mas atacava de forma ineficaz e incompetente (50 remates em dois jogos, 1 golo). Ou atacava melhor, mas defendia mal, sofrendo 3 golos da Hungria. 

 

Não me vou alongar em opiniões técnicas e tácticas, mas acho que há jogadores em má forma (Moutinho, André Gomes) e outros cuja melhoria foi lenta (Ronaldo, João Mário). E não estou convencido com o 4-4-2, preferia o tradicional 4-2-3-1 das eras de Humberto e Scolari. 

 

Por outro lado, não me espanta nada que Ronaldo não renda na seleção o que rende no Real. Em Madrid, ele joga ao lado de grandes jogadores (Bale, Modric, Kroos, James, Isco, Marcelo) e sobretudo, joga ao lado de um ponta-de-lança poderoso (Benzema). Na seleção, como sabemos, não existem jogadores desses e não há qualquer ponta-de-lança. 

 

Tudo somado, foi uma prestação fraca, cuja única parte positiva foi ter calhado num caminho para a final onde não estão nenhuma das equipas tradicionalmente mais fortes, como a Espanha, a Alemanha, a França ou a Itália. Porém, pela frente temos a Croácia, que não tem o estatudo das outras, mas é das melhores equipas deste Europeu.

 

Vencê-la vai ser muito difícil e julgo que Fernando Santos devia deixar-se de bazófias tolas e dizer sem receio que, perante aquilo que as duas equipas já fizeram nesta competição, a Cróacia é claramente favorita. 

 

"Mind game" humilde, é a minha sugestão. Retirar a pressão de Portugal e colocá-la na Croácia é talvez a única forma de estabilizar a nossa seleção e tirá-la do estado de sofrimento angustiante em que vive. 

 

PS: E não se esqueçam de começar a treinar os penalties.

publicado por Domingos Amaral às 10:21 | link do post | comentar | ver comentários (8)
Segunda-feira, 23.05.16

"Assim Nasceu Portugal" vai ao Porto!

assim_nasceu_portugal_2_convite (1).jpg

Na próxima quarta-feira, dia 25, vou ao Porto fazer o lançamento de "Assim Nasceu Portugal - A Vitória do Imperador".

Será na FNAC do Norte Shopping, a partir das 18.30. 

Os leitores e amigos que quiserem por lá passar, serão muito bem recebidos.

publicado por Domingos Amaral às 14:08 | link do post | comentar
Segunda-feira, 16.05.16

Afinal, foi o melhor ataque que ganhou o campeonato, não foi a melhor defesa

Há um lugar comum que persiste entre os comentadores de futebol, que repetem à exaustão a velha lenga-lenga: "os melhores ataques ganham jogos, mas são as melhores defesas que ganham campeonatos".

Será assim? Este ano, tal como o ano passado, não foi assim. Nas duas últimas épocas, o Benfica foi o melhor ataque mas não foi a melhor defesa do campeonato, e mesmo assim foi campeão.

 

E ao longo da história, quem tem ganho mais campeonatos, os melhores ataques ou as melhores defesas?

Fui fazer as contas e eis os resutaldos a que cheguei. Em 82 campeonatos nacionais disputados, há mais campeonatos vencidos pelo melhor ataque do que vencidos pela melhor defesa.

 

Há 29 casos (35,3%) em que o campeão teve ao mesmo tempo o melhor ataque e a melhor defesa.

Há 23 casos (28%) em que o campeão teve o melhor ataque, mas não teve a melhor defesa (como este ano o Benfica).

Há 20 casos (24,3%) em que o campeão teve a melhor defesa, mas não teve o melhor ataque.

Por fim, há 10 casos (12,1%) em que o campeão não teve nem o melhor ataque, nem a melhor defesa do campeonato.

 

Conclusão: da próxima vez que ouvir alguém a dizer que para ser campeão é preciso ter a melhor defesa, apresente este números.

Em futebol, é mais importante marcar golos do que não sofrer, pois é com golos que se vencem os jogos...e os campeonatos. 

publicado por Domingos Amaral às 14:50 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Segunda-feira, 09.05.16

Cuidado Benfica, ainda falta um jogo!

É bom que os benfiquistas se lembrem que isto ainda não acabou.

Falta um jogo e embora seja na Luz, não está ganho. Tem de ser jogado e tem de ser vencido, e só depois se poderá festejar.

Aqueles que acham que um jogo não é suficiente para perder um campeonato devem lembrar-se que em futebol, tudo pode acontecer. 

 

Nós, benfiquistas, já tivemos sofrimentos muito grandes nos últimos anos. Perdemos um título no Dragão, e uma Liga Europa, no minuto 92 desses dois jogos.

E antes, tínhamos empatado contra o Estoril em casa...

Nada disso irá acontecer? Eu não me fio em crenças, quero é resultados e esses só os podemos garantir no fim do jogo, não no princípio.

 

Nunca me esqueço de um campeonato perdido pelo Corunha no último minuto, com um penalty desperdiçado pelo Bebeto. Nem da final que o Bayern perdeu, quando o Manchester marcou 2 golos em 3 minutos. Futebol é também isso, terríveis imprevistos.

 

Ainda ontem, na Holanda, o Ajax perdeu um título a meia hora do fim, quando se deixou empatar. Estava à frente do PSV, e estava a ganhar o jogo, mas como sofreu um golo e o PSV venceu o seu jogo, o Ajax ficou em segundo.

 

Acredito que o Benfica tem competência suficiente para vencer o Nacional sem dramas, mas...Muita coisa pode acontecer num jogo. Mau tempo, campo cheio de água, expulsões, má arbitragem.

 

Portanto, luta até ao último minuto, até à última gota de sangue, como disse o Rui Vitória, cada dia melhor treinador. E nada de basófias, nem festejos prematuros.

Este campeonato, que o Benfica merece conquistar, é uma luta que só termina no último segundo, não antes. 

publicado por Domingos Amaral às 13:25 | link do post | comentar
Terça-feira, 03.05.16

"Assim Nasceu Portugal" no top dos mais vendidos

Assim Nasceu Portugal II.jpg

Com apenas duas semanas de venda nas livrarias nacionais, "Assim Nasceu Portugal - A Vitória do Imperador" está já no top dos mais vendidos em várias cadeias. 

Nas lojas Bertrand está no 1º lugar nacional, logo seguido em 2º lugar pelo primeiro volume da trilogia, "Assim Nasceu Portugal - Por Amor a Uma Mulher".

 

O mesmo se passa nas livrarias Bulhosa, o novo livro em 2º lugar, o primeiro volume no 2º lugar das vendas. 

Na FNAC, o livro está também no topo dos mais vendidos, em 8º lugar; e no top do Continente está em 5º lugar. 

 

Ao fim de quinze dias, estou muito contente com a resposta do público, que me dá ainda mais gosto para escrever o 3º volume da trilogia, coisa que já estou a fazer.

 

publicado por Domingos Amaral às 11:28 | link do post | comentar
Terça-feira, 26.04.16

Entrevista na TSF: eu, o meu pai e Afonso Henriques

Assim Nasceu Portugal II.jpg

Na passada semana, fui à TSF, ao programa "Uma Questão de ADN", na companhia do meu pai, Diogo Freitas do Amaral, para falarmos sobre Afonso Henriques.

O pretexto foi o meu novo livro, "Assim Nasceu Portugal - A Vitória do Imperador" e a entrevista aos dois foi conduzida, e muito bem, pela jornalista Teresa Dias Mendes, que foi colocando perguntas a ambos durante mais de uma hora.

Além de falarmos do meu romance mais recente, falámos também sobre a biografia que o meu pai escreveu sobre Afonso Henriques há já dez anos, e claro, um pouco da vida política dele e o quanto ela influenciou a minha.

Foi um momento de que ambos gostámos, e se algum leitor quiser ouvir, pode ir ao site da TSF e clicar no link que aqui deixo: 

http://www.tsf.pt/programa/uma-questao-de-adn/emissao/freitasdo-amaral-e-domingos-amaral-5137486.html

publicado por Domingos Amaral às 17:35 | link do post | comentar
 

Livros à venda

posts recentes

últ. comentários

  • Caro Fernando Oliveira, muito obrigado pelas suas ...
  • Gostei muito dos dois volumes e estou ansiosamente...
  • Bela e sensata previsão!Vamos ganhar a Final?!...
  • A tua teoria do terceiro jogo verificou-se!No enta...
  • Gostei de ler, os 2 volumes de seguida. Uma aborda...
  • Neste momento (após jogo com a Croácia) já nem sei...
  • Não sei se ele só vai regressar no dia 11, mas reg...
  • No que diz respeito aos mind games humildes, é pre...
  • Já foi treinador? Penso que não há expectativas el...
  • Caro Domingos Amaral, o seu comentário à actuação ...

arquivos

Posts mais comentados

tags

favoritos

mais sobre mim

blogs SAPO

subscrever feeds